segunda-feira, 21 de dezembro de 2009



Eu e o Papai Noel desejamos
a vocês um Natal cheio de luz
e paz junto ao menino Jesus. E um Ano Novo cheio de saúde e realizações! Beijinhos da Mariana
da Mamãe e do Papai.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Mamãe Mula! Quem disse que o sapato sai do pé? Ela nem anda ainda...

Que mulher sofre pra ficar bonita todo mundo sabe. A Mariana, por sua vez, em seus longos dois meses e meio de vida, só descobriu isso neste último domingo.
Tivemos um desses ótimos encontros de fim de ano, daqueles que a gente revê um monte de gente que gosta, e eu, é claro, como (quase) toda mãe de menina, queria exibir a minha pequena impecável, de laço na cabeça, calça jeans e sapato no pé.
Ela saiu de casa um luxo (depois de uma briga enorme pra vestir a roupa por causa do sono!). Dormiu quase que o caminho todo até o nosso destino e nos curtos períodos em que esteve acordada durante a viagem observou atentamente a estrada pela janela do carro. Quietinha!
A Mari é isso aí. Tranquilona, de sono fácil, um bebê simpático e risonho, daqueles que não dá trabalho mesmo. Mas, estranhamente, neste dia, assim que chegamos lá, ela ficou bem chorosa e um pouco irritada.
Pensei em mil e uma possibilidades que justificassem tal chororô: coco, fome, sono, barulho, pessoas novas, sei lá. Pensei até em cólica – “o retorno”. Mas não era isso não.
Descobri que o problema era o sapato. Mas, justo ele? Tão lindo! Vermelho, de bolinhas brancas, com laço e fivela de strass. Tão molinho e confortável... Sim! Bem confortável mesmo. Mas só se a mamãe (uma mula!) não apertasse tanto a tira no peito do pé.
Gente! Preciso admitir que, sem perceber, apertei tanto a tirinha no tornozelo da menina que mais um pouco tinha feito bolha. A pele já tava toda vermelhinha quando reparei que o motivo do mal estar era esse. E isso só aconteceu quando faltava meia hora pra ir embora. Ô, dóóóó!
Livre do sapato, ela voltou a sorrir. E no retorno pra casa foi descalça, feliz e bem à vontade.
Desculpa, filha! Mamãe promete que não faz mais isso.

PS: Essa foi a primeira vez que a Mari usou um sapatinho. Só espero que ela não tenha traumatizado. rsrsrs

sábado, 12 de dezembro de 2009

Presentão de Natal!!



A nossa Mariana não poderia ter ganhado um presentão melhor de Natal!

As cólicas da pequena, até que enfim, acabaram. Esta semana, ela não chorou de dor e eu não fiquei perambulando com ela pela casa cantando o mantra que sempre ajudava a dar um “xô” na dor ou, pelo menos, fazia com que ela dormisse.

Em quase 50 dias, choramos juntas muitas vezes. Dava uma angústia enorme vê-la chorar e não poder fazer nada... Quem é mãe (e passou por isso) sabe do que estou falando. Um choro desesperado e um olhar de quem pede socorro daquele que entra bem dentro dos seus olhos e corta o coração.

Cólica, agora, só quando ela ficar mocinha. Aí pelo menos ela vai saber me pedir um Atroveran. Rsrsrsrs! Que bom né, filha?

PS: A Mari teve cólicas de seus 28 dias de vida até completar 2 meses e 15 dias. Tô desconfiada que foi a visita dos tios Tuffy e Stela e, é claro, a energia maravilhosa dos meus queridos trigêmeos que levaram essa dor chata embora. Vcs tinham que demorar tanto pra vir aqui?? Rsrs. Amamos vcs!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Prontofalei !

Gente, a Mariana está com caspa!
Tô sentada hoje na varanda com ela e, que nem macaco que cata piolho um no outro, resolvi dar uma investigadinha na cabeça dela. Quase caí pra trás. Lotaaaaado de poeirinha branca grudada no couro cabeludo dela.
Como mãe de primeira viagem, fiquei literalmente apavorada. Me deu vontade de pegar o primeiro táxi e ir pro pronto socorro mais próximo. Mas eu ia chegar lá e dizer o que? Minha filha tá com caspa... um tanto ridículo, né?
Quando passou meu desespero inicial, lembrei de ligar pra pediatra. E com uma voz tranquilérrima, a médica dela (que é a mais despachada) me deu um diagnóstico que sei lá:
- Ah! É dermatite seborréica – disse a médica.
- Dermatite o que doutora?
- Dermatite seborréica, mãe.
- Não é caspa não?
- Não, que caspa o que... fica tranqüila, isso é super comum em bebês. Passa a pomadinha “xyz” que vai sarar rapidinho.
Então tá, né? Acreditei nela. Mas que tem cara de caspa e jeito de caspa, aaaah!, isso tem. Prontofalei. Quem quiser ficar com nojo fica. Tô me sentindo bem melhor.

PS: Recado pras tias Adri e Aline. Vocês duas (que fazem chapinha e usam curvex) que não me venham rir dessa história não, heim? Minha filha é sim da “Princesolândia”. Mesmo com caspa! Rsrsrsrsrs.

Ela descobriu a TV !!



Anteontem a Mariana descobriu a televisão. E, é claro, todos aqueles desenhos animados coloridíssimos que fazem brilhar os olhinhos de qualquer criança. Ela presta uma atenção que só vendo pra acreditar.

Com este feito, a “agenda diária” da minha pequena mudou. A cada 2 ou 3 horas, ela troca a fralda, mama, arrota e depois... vê TV. Que dormir que nada! Ela assiste Hi-5, Backyardigans, a tartaruga Franklin e até Bob Esponja, entre outros tantos que ainda não decorei o nome.

Bom, seja qual for o desenho, ela não pisca e até dá risadinhas pros mais coloridos. Aí chega uma hora que ela cansa, dá um chorinho e dorme. Não é o máximo? Ela dorme sozinha vendo TV! É muita independência!

Disso tudo, só sei dizer que é muito louco ver o bebezinho - que apenas dois meses atrás ainda estava dentro de você - descobrir o mundo. Confesso que estou encantada!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

E não é que ela entende tudo!


Outro dia estava sozinha com a Mari em casa e tinha que fazer mil e uma coisas. Tinha acabado de dar mamá pra ela, trocado a fralda e ela estava limpa e satisfeitíssima.


Chegada a minha vez de comer (afinal, toda mãe tem esse direito!) a menina não parava de resmungar. Eu punha a chupeta e ela cuspia. Punha de novo e ela empurrava a bendita pra fora com a linguinha.

Nas primeiras vezes pensei: “Bom, ela deve tá com algum problema...” Chequei novamente a fralda e nada... nem mesmo um xixizinho.

Como uma mãe moderna e democrática, tentei conversar:

- Filha, fecha seu olhinho e faz o seu soninho. Você tá cansada!

E nada...

Lá pela décima vez, depois de levantar mil vezes da mesa e nem sequer conseguir dar duas garfadas no prato minha paciência acabou. Fui até onde ela estava, olhei bem sério e engrossando a voz disse:

- Mariana! Fecha o olho e dorme. Você já comeu e a mamãe também tá com fome. Agora chega!

E não é que ela fechou o olho e dormiu na mesma hora!
Posso com isso? Esses bebês entendem tudo.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Mãe, sim! Manicure, nem pensar!



Desde que estava grávida ficava imaginando como seria cortar as unhas da “mini” mão da Mariana. Quem cortaria? Eu? Mas quem me ensinaria a fazer isso?

Bom, acabei aprendendo a cuidar das unhas da pequena na raça. Mas não cortando, obviamente. Aprendi a lixá-las com uma mini, micro, quase invisível lixa de unha, feita para bebês.
Desde então vem dando tudo muito certo. O processo é simples: a Mari dorme e eu parto para o ataque, lixando todas as unhas delicadamente, uma a uma. Sempre ficam lindas, bem aparadinhas, modéstia parte.

Ontem, no entanto, resolvi inovar e me ferrei. Aliás, ferrei a Mariana. Pela primeira vez usei o cortador de unhas que ela ganhou no chá de bebê. Uma graça! Pena que é tão pequeno quanto os dedos dela e que enxergar a navalha desse troço é praticamente impossível. Mesmo assim, fui em frente, crente que daria tudo certo.

Mirava unha a unha e... “tlec” ...cortava um pedacinho. De pedacinho em pedacinho, acabei a primeira mão me sentindo vitoriosa!! Na segunda mãozinha, mais confiante ainda, resolvi ir rapidinho pra acabar logo.

De repente, o anjo que dormia placidamente em meu colo, virou uma fera. Ficou vermelha, roxa, azul e depois de alguns segundos... soltou um sonoro “uééééé”, seguido de outros milhares até quase perder o fôlego.

E eu – que não pude nem enxergar onde e o que tinha acontecido – só conseguia pedir desculpas, tentando acalmá-la. Passada a choradeira, fui ver onde estava o estrago e notei que, bem na pontinha do dedo indicador, havia a marca crucial do meu crime. Um cortezinho SUPER considerável para aquela mão enooorme. Ainda bem que os bebês crescem e não se lembram de nada... pelo menos, assim espero!

O Significado de SER PAI - por Rubén Núñez de Cáceres



SOMENTE SABERÁ O QUE É SER PAI ...
Quando compreender, cheio de regozijo, que o fruto de seus sonhos é agora uma realidade palpitante, ternura viva e olhar inocente. Quando perceber suas olheiras enormes e a satisfação de ver seu tenro rebento dormindo, ainda que você não possa dormir. Quando entender que seu sono nunca mais será completo, quando ouvir o choro na madrugada.

SABERÁ O QUE SIGNIFICA SER PAI ...
Quando conhecer a maravilha que possui ao leva-la, pela primeira vez, à escola e vir seus olhos chorosos porque não quer separar-se de você e sentir na alma a dor de afastar-se, deixando-a no meio de outros egoísmos que, porém, o ensinarão a compartilhar.Quando, pela primeira vez, sua filha o chamar de papai, e rir quando a lançar ao ar e ela não sentir medo porque lhe dá segurança o seu sorriso.

SABERÁ O QUE É SER PAI ...
Quando a levar a falar com Deus pela primeira vez, e a ensinar a rezar por todos e ela sentir que o seu carinho é algo no qual ela pode confiadamente descansar. Quando compreender a maravilha que Deus lhe deu, ao ser desafiado por ela com suas primeiras perguntas, e, desprevenido, não souber como respondê-las.

SABERÁ O QUE É SER PAI ...
Quando chegar o dia em que você não a acompanhar, porque suas amigas a estão esperando e você sentir que seu coração fica abalado, porque esse dia chegou antes do que você pensava e sente profundamente que assim deve ser, porque é o preço que pagará pelo aprendizado de seu vôo definitivo. Quando ouvir seu primeiro apelo e seu primeiro desejo de independência.

E, FINALMENTE, SABERÁ O QUE É SER PAI ...
Quando a saudade consumir as horas que antes, desfrutava, feliz, na sua companhia, e talvez o telefone ou as cartas sejam seu único vínculo com ela. Quando, um dia, sua filha tiver que partir para estudar longe da família, ou para um trabalho num lugar distante, e a quem você deverá aceitar, porque é a lei da vida, pois sua filha foi emprestada a você apenas por algum tempo...

E SOBRETUDO, SABERÁ O QUE É SER PAI,
Quando chegar alguém e a levar de seu lado para perseguir outro arco-íris, o de sua própria vida, partilhada com alguém a quem ela amará

ENTÃO, SABERÁ O QUE É SENTIR-SE PAI
Você não estudou para sê-lo, mas viveu essa paternidade e a seguirá vivendo. Mas é só, então, que poderá ser consciente, em plenitude, da maravilhosa experiência, dom vivo de Deus, que é a alegria que isso lhe proporcionará, deverá ser, então, maior que a dor que supõe sentir que algo muito tenro se desprende de sua alma.

SENTIR-SE PAI

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Muito prazer, meu nome é Mariana !!


Em seus 2 meses e alguns dias de vida, a nossa Mariana não tem muita história pra contar. Ainda! De qualquer forma, desde que nasceu, Mari aprendeu a mamar, a sorrir, a arrotar que nem gente grande, a chorar de diferentes formas e até a dar gritinhos. Toma banhos de sol, de balde e chupa chupeta. Usa pulseira. Detesta colo. Reza todos os dias com a mamãe. Tem 5 amigos: um de pelúcia (o Bob Hildefonso - Bob por parte de mãe e Hildefonso por parte de pai) e outros 4 de verdade: o Pepê (1 aninho), o Arturzinho (2), a Gabrielinha e uma outra Mariana (espoletíssimas de 7, que piram quando ela passa). Mari já veste short e regatinha. Adora ventiladores. Eles giram, giram e giram e ela nem pisca. Toma homeopatia e abre a boquinha ao ver os vidrinhos. Dorme sozinha em seu quarto e fica encanadíssima com o pontinho verde que brilha no teto quando está escuro... nada além que a câmera da babá eletrônica, mas pra ela é algo encantador. Mari descobriu também que mamar na mamadeira é beeeemmmm mais fácil que no peito da mamãe. Adora o tantão de leite que sai de lá. Mari já teve prisão de ventre e, afe!, só Deus sabe quanta cólica. Escorrem as lágrimas de tanta dor e o choro é indescritível. Mari toma chá de ameixa e faz massagem. Sim! Ela faz massagem todos os dias na barriguinha e nas perninhas repletas daqueles furinhos de gostosura. Bem... essas são coisas de Mariana. Coisas que vamos contar aqui neste cantinho a partir de agora! Acontecimentos de hoje. Recordações pra amanhã. Um beijo, com carinho, Fernanda e Alex